MOSTRA AMERÍNDIA

Percursos do Cinema Indígena no Brasil, em Portugal

Um grupo de investigadores, programadores culturais e ativistas decidiu juntar-se e aprofundar o contributo do pensamento e cinema ameríndios, especificamente dos povos indígenas que vivem no Brasil, para a sociedade contemporânea.

A partir desta fusão natural surge a Mostra Ameríndia: Cinema Indígena no Brasil, de 13 de Março a 17 de Março de 2019

© buala.org

De acordo com a organização: “a produção cinematográfica indígena no Brasil tem contribuído de um modo decisivo para a emergência de novos instrumentos de conhecimento indígena e intervenção no mundo”.

Pensado de forma colaborativa com projetos envolvidos na produção e difusão desta cinematografia no Brasil, como a Mostra Aldeia SP, o programa da Mostra Ameríndia integra uma multiplicidade de experiências que nos retiram dos lugares convencionais de olhar e entender o cinema.

© doclisboa.org

A inédita presença de quatro realizadores indígenas, Zezinho Yube, Maria Dalva Manduca Mateus Kaxinawá (Ayani), Patrícia Ferreira, Alberto Álvares, assim como a vinda do curador e ativista Ailton Krenak e da artista plástica e ativista Daiara Tukano, oferece ao programa uma singularidade na comunicação com o público.

A Mostra inclui ainda um ciclo de conversas e debates que funciona como instrumento de difusão do conhecimento sobre os povos ameríndios, o seu cinema, cosmovisões e lutas na atualidade.

Esta mostra decorre entre 13 e 17 de março na Sala Polivalente da Coleção Moderna, no Museu Calouste Gulbenkian

Curadoria: Ailton Krenak, Ana Carvalho, Fred Maia, Inês Beleza Barreiros, Joana Gusmão, Miguel Ribeiro, Pedro Cardim, Rita Natálio, Rodrigo Lacerda, Susana de Matos Viegas Thais Brit, Vincent Carelli

View this post on Instagram

A post shared by Arte Ameríndia (@arteamerindia) on