VIN + OMI: OS PIONEIROS DO LUXO SUSTENTÁVEL

NNa nossa procura por soluções mais sustentáveis e alternativas, a nível de marcas inovadoras que estão a liderar este movimento sem precedentes, encontrámos VIN + OMI e ficámos completamente rendidos com a sua visão altenativa.

VIN e OMI são dois fashion designers que exploram novas vertentes têxteis para minimizar os riscos que a moda tem para o planeta, mostrando novas fontes de matéria prima naturais, dentro de uma economia circular.

A moda é a segunda maior indústria mais poluente do planeta seguida do petróleo. Isto devido aos elevados químicos tóxicos utilizados nos tingimentos dos tecidos, fibras sintéticas e microplásticos, que são expelidos diariamente para os oceanos e carregando assim muita poluição para os oceanoso que representa um problema sério para a vida marinha e consequentemente para os humanos através da cadeia alimentar

© VIN +OMI


OMI assume não ser fácil construir uma base sustentável para a moda, é o mesmo que fazer um bolo sem farinha, fermento, manteiga, açúcar ou ovos, mas no final o bolo tem de ficar fofo. O mesmo acontece com as suas colecções, não poderá ser usado um ferro de engomar por mais de 30 minutos e/ou usar apenas fontes recicláveis e sustentáveis, calcular a energia humana e a emissão da pegada de carbono e usar apenas fontes de energias verdes.

Contudo, a dupla mostra que é possível tudo isto. A marca produz em Cotswolds, Inglaterra, muita da matéria-prima, a ser utilizada posteriormente para a produção de couro e tecidos vegetais orgânicos. Fazendo, também, experiências com subprodutos da indústria alimentar: castanhas, fungos e algas, urtigas e brássicas.


PlayPause
Slider

Além da vertente natural estes designers produzem também tecidos feitos a partir de plásticos retirados dos oceanos. A marca tem uma produção especial de rPET (RecycledPolyethyleneTerephthalate) um novo material reutilizável e feito de forma sustentável.

Porquê PET?
  • A produção de rPET usa 50% menos energia do que os tecidos PET
  • Cerca de um terço a menos de CO2 é produzido em comparação com a produção de PET
  • As suas t-shirts PET T usam 11 garrafas de plástico
  • O uso de rPET reduz a sua dependência de petróleo e outros recursos naturais como matéria-prima para PET
  • Podem tecer um tecido de alta qualidade com maior durabilidade
  • As roupas PET existentes em circulação podem ser transformadas em rPET, desviando-as do aterro sanitário

PlayPause
Slider

VIN e OMI tiveram apoio para a coleção RESIST de Príncipe Charles, membro da família real britânica, com matéria prima retirada da sua propriedade. “Tudo na coleção é feito de materiais ecológicos, com recortes tirados sazonalmente de animais de estimação, não de gado: pense em casacos feitos de cabeças de hortênsias mortas e vestidos feitos de crina de cavalo “cortada confortavelmente”.

Estes designers trouxeram até hoje 24 novos têxteis ecológicos e sustentáveis para o mercado, sendo uma das primeiras marcar a desenvolver têxteis a partir de garrafas recicladas

Os designers já vestiram celebridades como: Beyoncé, Michelle Obama, MileyCyrus, Pamela Anderson, entre outros.

A mudança na indústria da moda tem de ocorrer urgentemente e, passa por nós consumidores, fazermos compras mais conscientes e sermos mais ativos sobre quem criou as roupas que usamos (#whomademyclothes).



instagram
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por VIN + OMI (@vinandomi) a

internet
Video