OSKLEN – EM BUSCA DO DESENVOLVIMENTO HUMANO SUSTENTÁVEL

FFundada por Oskar Metsavaht em 1989, a brasileira Osklen é o exemplo perfeito de uma marca de luxo sustentável de sucesso, onde a sua identidade passa pelo foco na preservação do meio ambiente, impacto social e materiais reciclados.

Pioneira na área da sustentabilidade, a #osklen está comprometida com a filosofia “As Sustainable As Possible, As Soon As Possible”, contando com mais de 20 anos a desenvolver acções em busca desse objectivo.


Em 1998, Oskar Metsavaht lança os fundamentos do desenvolvimento sustentável para a Osklen e assim implementa estratégias que dão início aos projectos socio-ambientais na moda. Uma atitude contemporânea, na altura, uma vez que ainda no #brasil o conceito de #sustentabiidade era praticamente desconhecido.


PlayPause
Slider

Em primeiro lugar, é importante destacar que a Osklen possui parceria com o Instituto-E – fundado por Oskar  Metsavaht, uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) que criou diversos projectos de capacitação para pequenas comunidades e grupos de mulheres que vivem em situação de vulnerabilidade no Brasil, que incluem, entre outros, rastreamento da pegada de carbono e água, implementação de hortas comunitárias, pesquisa e desenvolvimento de novos materiais sustentáveis.

Com essas práticas, a marca está sempre em constante  inovação e a experimentar diferentes abordagens para resolver problemas educacionais, económicos e ambientais como a protecção da floresta amazónica – o coração verde do Brasil e do mundo.

Em 2017, a Osklen poupou 119 milhões de litros de água devido às práticas sustentáveis ​​adoptadas em suas produções.

Materiais sustentáveis como o  algodão orgânico, a seda orgânica e o PET reciclado, fazem parte do ADN das suas colecções em prol do progresso social e ambiental numa economia circular. Por exemplo, a Osklen está a aumentar o uso de algodão reciclado nas suas coleções. Isso significa que estão reduzir o uso de água e produtos químicos, muito utilizados no cultivo do algodão virgem.


PlayPause
Slider

A Osklen trabalha com couro de pirarucu, que dá suporte às técnicas tradicionais da lavoura, às comunidades e ao meio ambiente local. O pirarucu é proveniente de fazendas rigorosamente monitoradas ou da pesca, em comunidades ribeirinhas da região amazónica.

O pirarucu é tradicionalmente pescado para alimentação, com a pele historicamente descartada. Mas, junto com a Nova Kaeru e o Instituto-E, a Osklen ajudou a desenvolver esse subproduto de resíduos em um novo material de luxo que é usado em todas as colecções de acessórios da marca.

Ao criar demanda por este novo material, a Osklen é capaz de apoiar ainda mais a comunidade local e a economia. Os principais benefícios sociais incluem a melhoria das condições das comunidades ribeirinhas da região amazónica, não apenas com income de renda, mas com apoio a iniciativas de longo prazo, como programas de capacitação.


Na minha opinião, poucas marcas de moda fizeram mais pelo meio ambiente do que a Osklen, mas esse caminho de inovação e sustentabilidade certamente não terá sido fácil. Começando pelos desafios económicos, ambientais, sociais e políticos que o Brasil tem vivido nos últimos anos, passando pelo facto de a produção de marcas sustentáveis ​​ainda ser em pequena escala, o que torna os produtos ainda caros, podemos ver que há ainda há um longo caminho de desafios, mas já pleno de conquistas atingidas e sucessos no domínio da sustentabilidade.

Em jeito de conclusão, é importante referir que a Osklen iniciou uma joint-venture com a gigante do e-commerce: a Farfetch. Essa estratégia de aliança, foi uma oportunidade de ouro para o crescimento internacional da Osklen, e para a Farfetch uma situação win-win também, pois pode atender a uma nova demanda dos consumidores por roupas de luxo sustentáveis.


Instagram
View this post on Instagram

A post shared by Osklen (@osklen) on

Referência
Facebook